A beleza das estações de metrô de Moscou, pelas lentes de David Burdney

por AD Editorial Team

 

Conhecido como um dos maiores sistemas de metrô do mundo, o metrô de Moscou está repleto de materiais comumente associados a palácios ou museus – paredes de mármore e granito, colunas de bronze e suntuosos lustres são apenas algumas das texturas que encontramos no subterrâneo da maior cidade da Rússia.

 

Apesar de sua fama, o governo de Moscou quase nunca permite que fotógrafos profissionais registrem a beleza das estações. Mas em 2014, o fotógrafo David Burdney finalmente teve uma oportunidade. Visitando as estações tarde da noite, depois que o metrô havia fechado, Burdney pôde registrar cada estação em sua melhor luz e na completa ausência de pessoas.

O interesse de Burdney pelas estações veio de seu papel na história russa. Conhecidas como “Palácios para o Povo”, as estações de metrô abriram em 1935 como um elemento de propaganda comunista. Empregando o slogan “O país inteiro está construindo o metrô”, o líder Joseph Stalin alistou quase 75.000 trabalhadores para construir a rede, como um símbolo do suposto cuidado do governo com seu povo.

 

Hoje, o metrô de Moscou transporta cerca de 9 milhões de pessoas diariamente através de 200 estações. Com várias expansões adicionais nas obras, espera-se que o sistema se torne o maior do mundo até 2020.

 

Veja outros trabalhos de Burdney em sua página oficial, aqui.

 

Disponível em: www.archdaily.com.br/br/868660. Acesso em: 07/06/2018.

 

Share your thoughts