MOMENTO DE DIVERGÊNCIA DE PENSAMENTO

É necessário fazer um entendimento 360º do desfio inicial ou o que chamamos carinhosamente de (DES) ENTENDIMENTO. É hora de colocar todos os pressupostos na mesa e desapegar-se deles. Este é um momento de abertura de olhar e de preparação de pesquisa de campo. Colher todos os dados existentes e disponíveis é imprescindível. A fase de ENTENDIMENTO é de extrema importância para a equipe, um momento de nivelamento de conhecimento e de criação das primeiras regras sociais do grupo que facilitam a colaboração.

MOMENTO DE CONVERGÊNCIA DE OLHAR E EMPATIA!

Hora de sair a campo, conversar, observar, provar, hora de sair da zona de conforto! Todo serviço, produto ou plataforma é feito para PESSOAS e por isso nossa pesquisa se baseia nas mesmas! Estamos interessados no fator humano e assim devemos olhar todos os aspectos do ser humano: físico, cultural, sociológico e psicológico.

MOMENTO DE CONVERGÊNCIA DE PENSAMENTO

O ponto de vista é provavelmente um dos momentos mais difíceis do projeto. Depois de gerar grande quantidade de dados, insights e novas compreensões, é hora de refrasear o desafio a partir do entendimento e pesquisa em grupo. É momento de navegação e organização da complexidade gerada. A necessidade neste momento é diretamente proporcional à abertura gerada nas fases anteriores. Quanto maior e mais longo o projeto, maior será a necessidade de convergência.

O MOMENTO ONDE AS SOLUÇÕES GANHAM VIDA

No momento de ideação construímos soluções para os problemas e dilemas encontrados na etapa anterior. É importante ter uma consciência do que realmente estamos resolvendo, pois ela permite uma exploração focada em diversos caminhos criativos. Conectada a criatividade – elaboração de ideias novas, úteis e surpreendentes – a ideação equilibra o pensamento divergente que é a capacidade humana de encontrar um grande número de ideias a partir de um estímulo único, com o pensamento convergente responsável pelo trabalho lógico, analista e detalhista. Potencialize essa atividade proporcionando um ambiente desafiador e confortável para explorar sem julgamentos, onde os integrantes do time combinam os elementos encontrados nas pesquisas com seu próprio repertório e criam soluções significativas para o projeto.

“OS PROTÓTIPOS SÃO MAIS VALIOSOS COMO MEIO DE COLABORAÇÃO E INTERAÇÃO ENTRE PESSOAS DO QUE COMO UM MEIO DE VALIDAÇÃO OU PROVA DE CONCEITO” – Michael Schrage.

A fase de prototipagem é um momento de DIVERGÊNCIA, de gerar ainda mais ideias, de crescer o seu entendimento, de expandir. Protótipos são uma forma poderosa de comunicação que nos forçam a pensar realisticamente sobre a maneira como as pessoas irão interagir com o conceito que estamos projetando. É o momento de tirar as ideias do papel, de dar-lhes vida. A construção de modelos nos ajuda na visualização e iteração do funcionamento da ideia. O protótipo é algo capaz de causar uma sensação em alguém antes mesmo da solução existir.

“PROTOTIPE ACHANDO SEMPRE QUE ESTÁ CERTO, MAS TESTE ACHANDO SEMPRE QUE ESTÁ ERRADO! ”

Se você gastou bastante tempo em cima de suas criações, elas se revelarão para você. Mas se você testar sua ideia e deixa-la crescer descontroladamente, ela ganhará vida própria, virará realidade e se revelará para os outros. Isso só acontece quando você começa a construir algo tangível, quando prototipa e começa a aprender como pensar sobre o desafio a partir de sua ideia.

PARA RECEBER UM FEEDBACK É NECESSÁRIO SABER OUVÍ-LO!

Tente não ficar na defensiva, não faça julgamentos, resuma e reflita o que ouviu. Faça perguntas para esclarecer, peça exemplos de histórias que ilustrem o feedback, seja acessível e cheque com outras pessoas (não mude todo o seu projeto por receber um feedback negativo). A iteração é a oportunidade de refinar as nossas soluções e torna-las melhores. Levá-las a um próximo nível. O feedback nos traz insights valiosos que nos ajudam a criar uma solução relevante e importante para os usuários, criando valor para a solução. Iteramos para refinar nossos protótipos e soluções. Às vezes, isso significa voltar ao início do processo. O teste é mais uma oportunidade para criar empatia através da observação e engajamento que muitas vezes gera insights inesperados. Às vezes, o teste revela que não só não temos a solução certa, mas também que não conseguimos redefinir o problema corretamente.